Para muitos que pensam que a Creatina faz mal, se enganaram, pois não faz. 

 Pelo contrário a Creatina ajuda no desenvolvimento dos músculos, e atualmente vem sendo utilizada em tratamentos médicos.

A Creatina é um composto que nosso corpo produz, mas em quantidade menor que o necessário para resultados nos músculos.A polêmica sobre a Creatina é grande, já foi até proibida no Brasil, pois muitos médicos associam seu consumo com problemas relacionados com rins e fígado.

Uma dose de Creatina é sintetizada pelo organismo, no fígado e pâncreas, seu complemento vem através da alimentação, peixes, carnes e derivados. Vegetarianos possuem níveis baixos de Creatina.

A substância é conhecida pela explosão de força e máximo desempenho fornecido ao esportista.A Creatina oferece força elevada valorizando esportistas de corrida, natação e levantamento de peso, por serem provas de velocidade necessitando de concentração e força.

No que se refere ao aumento de massa muscular, a Creatina tem a capacidade de dar volume ao músculo por aumentar a absorção de água nas células musculares, não sendo realmente massa muscular e sim líquido retido. Muitos especialistas questionam a sobrecarga nos rins e fígado pelo uso da Creatina porém estudos mostram o contrário.

A sociedade Internacional de Nutrição Desportiva negou muitos mitos em relação à Creatina no ano de 2007, como: Nenhuma evidência médica permite concluir que o consumo de creatina monohidrato prejudica a saúde, seja a curto seja em longo prazo.

A suplementação com creatina não dificulta a capacidade do corpo para dissipar calor ou o equilíbrio de fluidos do atleta. A creatina aumenta a quantidade total de água corporal, possivelmente diminuindo o risco de desidratação, a taxa de suor e a temperatura corporal.

O certo é que o desempenho do atleta, massa muscular e força aumentam em atividades de explosão musculares não aeróbicas. Porém aliada a atividades e com a recomendação de um médico especialista na área.